Morar nos EUA, sonho ou pesadelo?

Bom lindeza, eu decidi morar nos EUA em 2015, e passei 6 meses por lá. Foi difícil conseguir o visto e entrar nos EUA? Essa é a pergunta que todos, sem excessão, me fazem quando estão pensando em viajar para os EUA. Eu já começo dizendo que para mim Dyuly, não foi muito difícil, nem complicado. Organizei meus documentos, paguei alguém para me auxiliar, entrei no site fiz o cadastro paguei a guia, (aproximadamente  600R$ em 2014), marquei a entrevista, fiz a entrevista e em 7 dias o passaporte estava nas minhas mãos com o visto B1/B2 de turismo e viagens com a validade de 10 anos.

Mas de maneira geral depende muito do seu perfil, das respostas que você dá para o cadastro e o entrevistador, a embaixada da cidade na qual você solicita seu visto, se você já teve alguém da família que está ou esteve ilegal nos EUA, o período, etc.

Elaborei um material explicando passo a passo de como organizar sua viagem ao exterior, no caso EUA que está em fase final de edição. Conteúdo como conseguir o visto, passo a passo para a entrevista, links, passagens, melhores destinos, trabalho, custo de vida, etc.. Que estarei disponibilizando para vocês em breve! Os interessados podem já deixarem seu email cadastrado nos comentários no final desse artigo!!

Se vai morar nos EUA saiba: A primeira impressão é a que fica!

 

 Quem nunca ouviu falar que a “primeira impressão é a que fica”? Morar nos EUA foi uma experiência única pra mim e foi carregada de momentos bons, ruins, difíceis, alegres e desesperadores. O mais incrível foi quando cheguei, fui para Miami-Flórida. Conheci Miami Beach, visitei as praias lindas, aquele mar verdinho, com um calor quase pior que o do Brasil (setembro).

Os shoppings em Miami me fez me sentir em solo brasileiro, todo lugar que eu entrava, tinha um brasileiro.

Mas a proposta de trabalho era próximo à Boston – Massachusetts e o jeito foi esquecer o calor das praias para enfrentar o frio do outono da região norte do país. A cidade de Boston é linda, possui parques, monumentos e muita variedade de bares, boates, discotecas e restaurantes, porém, tem muito no frio.

 

Miami Beach

 

Trabalhos pra quem quer morar nos EUA

 

O primeiro trabalho que arrumei próximo a Boston foi de “faz tudo” na casa de uma família americana que parecia muito simpática e amistosa. Finalmente depois de alguns dias entre faxina, limpeza de vidros, organização de armários, roupas, reforma da casa de praia, pintura e etc. Eles demoraram mais de 1 mês para me pagar, e ainda pagaram menos da metade combinada no início, com a desculpa que eu não tinha empresa, não pagava impostos e blá blá blá.

De cara já aprendi a primeira lição! Não existe gente oportunista e desonesta no Brasil, então trabalhou? Recebe no mesmo dia mesmo que vá voltar no dia seguinte, não pagou o combinado? Reclame seus direitos, imigrante ou não, legal ou não, saiba que a polícia americana defende os direitos de quem trabalha duro.

 

Lembre-se! Não confie em qualquer pessoa!

Morar nos EUA poderia ser tudo que eu sempre sonhei, mas as coisas não saíram bem como o planejado. Depois de tudo isso, conheci outras pessoas e arrumei um trabalho em um salão de brasileiras. Aquele povo sorridente que te recebe de braços abertos e te enchem de promessas, me senti em casa. Dediquei de corpo e alma ao trabalho, aprendendo e colocando em prática tudo que eu sabia sobre unhas, pele, maquiagem e cabelo.

Mas ali aprendi a segunda lição! Não faça algo que está fora da sua competência profissional sem estar certo de que é capaz, e não confie em qualquer pessoa sorridente que diz que vai te ajudar, no fim muitos só querem se dar bem e lucrar com sua falta de informação ou bondade. Eu passei pela decepção de levar prejuízo e ainda sair mal falada, por “abandonar o emprego”.

Então fique esperto! E não confie em qualquer um que se diz “seu amigo”, infelizmente os brasileiros fora do Brasil não são sempre as melhores pessoas e acabam queimando o filme dos outros honestos. Morar nos EUA é isso, um aprendizado novo a cada dia. Se você for forte, aprende e segue em frente, se não desmorona e volta pro Brasil de mãos vazias!

 

 

Do inferno ao céu superando meus próprios limites para morar nos EUA

 

Bom, eu decidi morar nos EUA… Eu estava em um país que não conhecia, sozinha, com uma língua que eu não dominava, passando muito frio, conheci a neve e as temperaturas negativas; Estava sem muito dinheiro e cercada de pessoas que não sabia se podia confiar! Fiquei pensando : “Caramba, que saco! Não sou obrigada a passar por isso, vou embora!” Cheguei a beira da depressão, o meu sonho tinha se tornado um pesadelo.

 

Claro que conheci pessoas boas, fiz amigos que tenho contato até hoje, me diverti, usei fantasia no halloween, ganhei os primeiro dólares, mas após tudo, Boston era o último lugar que eu queria ficar! O jeito foi decidir o que eu iria fazer a partir dali, voltar a estaca zero, ou buscar outra opção para sair daquela situação.

trabalhar nos eua pintora

Luz no final do túnel

Até que uma luz brilhou, e um amigo do Brasil disse que tinha um amigo na Flórida que precisava de gente para trabalhar. Em questão de 2 dias eu estava em Deerfield Beach (20min de Miami), de mala e cuia para trabalhar como pintora de casas. Isso mesmo, meus amigos, formada e pós graduada, saí do Brasil pra aprender a pintar, faxinar, fazer unhas e cabelos e muitos outros pequenos e difíceis serviços para morar nos EUA.

Tudo começou a mudar, o clima, as pessoas, o trabalho, tudo era melhor. Apesar das condições de moradia serem bem simples e apertadinha, fui recebida com muito carinho e muito apoio na casa dos amigos brazucas. Alí, conheci histórias incríveis!

 

miami beach morar nos eua

 

Histórias de superação de quem também decidiu morar nos EUA

 

Dentre as pessoas e as histórias que conheci, conheci pessoas como um amigo que estava morando nos EUA a mais de 10 anos. Fez uma imigração ilegal pelo México, correndo todos os riscos, não tinha nenhum documento como passaporte etc. Mas tinha sua própria empresa de granito. Ali trabalhava duro de segunda a segunda, ajudava a família no Brasil. Mesmo a tanto tempo sem poder vê-los!

Um outro, carioca da gema, a 2 anos na América, longe da esposa e dos filhos que não conseguiam visto para entrar no país, ralava de sol a sol para garantir uma vida melhor e mais confortável para sua família, mantendo contato apenas pelo facetime.

Superação acima de tudo!

Além deles também fiz amizade uma uma mulher guerreira de verdade, que com 5 anos já tinha sua própria agenda de clientes. Mesmo com uma filha, um ex relacionamento conturbado e um casamento “comprado” para conseguir os documentos americanos. Ela não tirava o sorriso do rosto. Era sempre vaidosa e gentil. E conseguiu receber a visita emocionante dos seus pais na sua casa depois de tantos anos sem poder ir vê-los.

Cada pessoa que eu conheci, possuia uma história, uma trajetória, um sonho ou uma realização ali. Todos regados de muitas batalhas, saudade e vitórias. Você acaba percebendo que existem sonhos que custam realmente muito mais do que só dinheiro para serem realizados.

 

Morar nos EUA e colher os frutos do trabalho!

Então trabalhei duro, era preciso para morar nos EUA. Eu levantava as 5hs da manha para me organizar e me deslocar até Miami. Lá o trânsito fazia um trecho de 20 minutos se transformar em 2 horas. Eu trabalhava o dia todo, umas 10 horas ou mais por dia. Mas recebia no fim do dia e voltava pra casa cansada mais recompensada! Trabalhava para 3 empresas diferentes como pintora. Mesmo aos finais de semana e ganhava bem (muito mais do que como profissional de Marketing no Brasil).

Porém, não tive nenhum dos benefícios de seguro desemprego, 13° salário, férias, nem nada semelhante. Já aviso desde já que ficar doente é um péssimo negócio. Além de todo tratamento ser muito caro, nada nem os bombeiros ou a emergência é oferecida de graça!

 

Sonhos realizados!

Consegui juntar dinheiro, ir as compras de Natal, me divertir, viajar, e os meus amigos me ajudaram absurdamente e muito! Me apaixonei pelos outlets, e aquelas megas lojas enormes de departamenos cheio de marcas famosas com preços de camelô. Entendi realmente o que era um “Black Friday”. Eu visitei o Aquárium de Miami, Orlando, Universal Stúdios, o Cirque de Solei, a Disney… Milhares de coisas incríveis.

Fui esquiar pela primeira vez, cai pra caramba!kkkk Conheci  Nova York, o famoso museu de cera Madame Tussauds, e a Estátua da Liberdade, andei da Times Square. Eu vi Nova York do topo da Empire States, visitei o Central Parque em pleno natal com uma árvore de natal gigante.

Tentando resumir, fiz tudo que pude dentro do espaço de tempo que tive, entre o trabalho, as obrigações e as diversões. E juro que foi tudo fantástico.

Uma outra hora escrevo para vocês sobre os lugares que visitei, as impressões e descrições de cada cantinho que tive o prazer de conhecer.

 

ilha de manhatan- estátua da liberdade

Minha opinião pessoal sobre morar nos EUA

De maneira geral foi uma experiência que me ajudou a amadurecer. Me ajudou a conhecer meus limites como ser humano, a tomar decisões difíceis e importantes! Qualquer pessoa que me pergunte sobre como foi morar nos EUA, vou dizer que foi ótimo. Muitas vezes melhor do que aqui na França, quando se trata de trabalhar e ganhar dinheiro. Porque lá não só é mais fácil, como mais rápido e menos burocrático conseguir trabalho! Você só precisa ter força de vontade e muita… mais muita coragem de enfrentar os trabalhos que você talvez nunca faria no Brasil.

Eu recomendo se você quer mesmo enfrentar seus medos, realizar seu desejo e amadurecer que vá primeiro morar nos EUA.  Depois terá uma base para ir para os outros. Além disso aprenda o inglês, mesmo que o básico para não ter que depender de ninguém. E aproveite bastante tudo que puder.

Como eu disse, deixo mais detalhes para os próximos artigos. Conto mais sobre os lugares que visitei, as comidas, a cultura americana, as casas, e muito mais. Assim  vocês podem mergulharem comigo nessas experiências de morar e visitar outros países!

 

Assista o vídeo de como organizar uma viagem e não se esquece de se inscrever lá no meu canal do YouTube!!

 

Beijos até mais!

Related Posts

Comments (11)

Tô pensando em tentar a vida fora do Brasil

Showww.. Estou na fase de pesquisa e planejamento pra ir para os EUA..
Visto na mão e coragem pra nova realidade.

Me ha encantado este texto y en ningún momento había estudiado una
opinión como esta sobre el tema, impresionante !
Saludos

Olá, como vc fez? Apenas foi? Sem nenhuma previsão do que ia acontecer? Penso muito sobre ir mas não sei como é o processo..

Olá, eu me organizei antes de ir, tirei meu visto, entrei em contato com conhecidos e amigos que vivem fora pra obter mais informações e ajuda. Você pode encontrar mais informações aqui no site sobre como se organizar!

Jeová castro/ Luziânia Goiás

Se for da vontade de Deus lutarei para morar nos EUA .
O futuro pertence a Deus mas cabe a nós lutar.

Validade de 10 anos??? Que visto é esse??

O visto de turismo B1/B2 pode ser aprovado para o período de 6 meses a 10 anos. Isso não quer dizer que você possa permanecer em território americano durante todo esse período e sim que durante a validade do visto você pode ir e voltar quantas vezes quiser. Que por exemplo é o meu caso, tirei o meu visto em 2014, ja fui e voltei mais de 10 vezes dos EUA, mas cada ida e vinda eu podia ficar no máximo 6 meses direto… e meu visto ainda vale até 2024!

Oiii, então, estou começando a me organizar para ir em 2020, porém, estou com muitas dúvidas pois li que ficar com o visto de turista é extremamente perigoso e ficando de forma ilegal você não pode sair do país. (Caso queira visitar a Europa e etc, é verdade?) E com o visto de turista ficando até 6 meses você tem que retornar ao Brasil e depois de um tempo voltar para os EUA, pois eles também verificam caso você fique apenas 1 semana, sl, um curto prazo no Brasil, eles “especulam” que você está morando ilegalmente e não liberam. E o visto de estudante acaba saindo caro, pois estudar lá não é barato. Como você ficou nos EUA apenas com o visto de turista? Você já tinha inglês fluente?

Olá Larissa, então vou tentar responder todas as suas dúvidas.
Para a questão do visto de turista, ele é válido geralmente por 10 anos podendo ficar permanentemente nos EUA somente 6 meses, depois deverá voltar ao Brasil ou outro país do seu interesse.
Durante esses 10 anos, você poderá ir e voltar quantas vezes quiser, não ultrapassando o período autorizado a cada entrada.
Se você exceder o prazo e ficar ilegal NADA te impede de sair do país, pelo contrário, em caso de problemas com a imigração eles irão deportar você (as vezes nem é necessário, já que sua intenção é sair do país).
Realmente se você em 1 ano com o visto de turista, passar mais tempo nos EUA do que no Brasil ou outros países, irá levantar suspeitas e poderá ser barrada ao entrar no país ou ter o visto cancelado.
No meu caso, eu fiquei 6 meses lá e 6 meses na Europa até conseguir um visto de trabalho lá e um de família aqui (sou casada com um europeu).
Hoje falo inglês mediano, mas quando fui pela primeira vez mal falava Thank you…kkkkk não se preocupe que estando no país você aprende mais rápido e isso não te impede nem de se deslocar, ou trabalhar…
Espero ter respondido suas questões e te ajudado. No meu Guia tem mais informações sobre o assunto! Não corra riscos, e se precisar estou a disposição!

Olá Larissa, te respondi tudo por email.
Desde já aviso que durante o período que estiver com seu visto válido você pode ir e voltar pra onde quiser. Uma vez ilegal, você não será impedida de sair, apenas de retornar.
Não falava nada de inglês, e fiquei 6 meses nos EUA e 6 meses na Europa até conseguir um visto de família. Nunca fiquei ilegal, nunca fui barrada ou questionada, nunca tive problemas pra conseguir trabalhar, viajar, nem nada!
Espero ter respondido suas questões e se precisar de ajuda estou a disposição!

Leave a comment

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Morar nos EUA, sonho ou pesadelo?

Send this to a friend