Top

Viver em Paris, uma “aventura” sem fim.

dyuly em paris

Viver em Paris, uma “aventura” sem fim.

Olá meus amores, hoje estou aqui para contar um pouco de como é a minha vida que, a 2 anos decidi viver em Paris. Baseando na minha experiência como uma brasileira que resolveu fazer a mala e sair em busca de um sonho, uma nova vida e uma melhor condição financeira, e estou morando em outro país, no meu caso mais precisamente eu decidi viver em Paris na França, aquela da famosa Torre Eiffel, considerada a cidade da luz, da moda e do amor (é o que dizem por ai! risos).

Todas as informações que serão colocadas nesse texto tem opinião particular, então gostaria em primeiro lugar dizer que não importa o que eu diga, a experiência de viver em Paris ou de viver em qualquer outro país, é individual para cada um, mas é verdade que em todos os casos existe algumas dificuldades e muitos obstáculos como a mudança brusca de cultura, o clima, a adaptação, a saudade, a língua entre outros pós e contras que vou tentar contar resumidamente aqui para vocês.

Em primeiro lugar uma coisa que MUITA gente me pergunta, é sobre o danado do VISTO, então saibam que a Europa não exige um visto pré aprovado por uma entrevista ainda no Brasil para a entrada nos países que compreendem a União Européia, o visto na verdade é dado aos estrangeiros quando chegamos em solo europeu, pela imigração, que verifica seus documentos e informações de viagem e normalmente tem validade de 3 meses, ou seja, se o plano é viver em Paris, ou em qualquer país europeu, não faça como eu, que passei um perrengue danado até organizar tudo, se planeje e se organize antecipadamente, seja como estudante, trabalho, nacionalidade por direito de família, casamento, etc.

Então chega de burocracia e vamos ao que interessa, na minha visão, quais são os pós e os contras de viver em Paris  na França.

 Quer organizar sua viagem?Clique aqui! O Agora Vai+ em parceria com o ViajaNet ta cheia de promoções em passagens e hotéis. 

 viver-em-paris-torre-eiffel

O clima diferente e o estilo.

Amores, se vocês assim como eu, mora em uma região do Brasil em que a temperatura é em média 28°C, tenho que avisar que para viver em Paris, o seu guarda roupas terá que sofrer uma mudança brusca! Claro que aqui existe verão, com temperaturas escaldantes no período de junho a setembro.

Porém no resto do ano, e principalmente em dezembro e janeiro, o frio é de fazer qualquer um arrepender de ter se mudado do Brasil. Além da neve, temperaturas negativas com um tempo cinza e chuvoso, os dias são mais curtos no inverno, o luz do dia aparece apenas das 9h da manhã as 16h da tarde, ou seja, enquanto você no Brasil ta indo aproveitar o pôr do sol às 18hs pra tomar uma gelada, aqui já estamos debaixo de cobertas, um monte de roupas de frio, um chocolate quente e um breu total! Mas, em compensação no verão, tem sol e calor até as 22h (pasmem!).

Além disso, não tem como falar dos franceses e não notar a enorme diferença de estilo e hábitos que temos entre eles nós brasileiros. Quando cheguei aqui, tinha na minha cabeça que as pessoas eram muito elegantes e bem vestidas (ao estilo red carpet), afinal é a capital da moda, mas eu fiquei em choque quando percebi que na verdade não tem nada disso.

Em geral os homens usam roupas sociais para o trabalho e quase sempre estão de echarpe, as mulheres praticamente não usam maquiagem como as brasileiras, não se vestem para impressionarem, são práticas e básicas, muito preto e cores neutras, tênis, pele ao natural e cabelos curtos ou médios (e elas não tem muito aquela coisa da “chapinha”).

São geralmente magros, e a maioria têm verdadeiro horror quanto aos procedimentos estéticos cirúrgicos (ao contrário de nós brasileiras que sonhamos com aquele silicone ou aquela lipo, não todas!), mesmo coisas simples como tirar bem a cutícula, aqui não é muito usado. Somos sim diferentes deles, claro que depende de região, Paris é o lugar que eu conheço com a maior variedade de culturas, roupas, línguas etc, tem estrangeiro demais, e de todo lugar do mundo, mais esse é o charme de viver em Paris.

 

Hábitos cotidianos em geral

Nós brasileiros gostamos mesmo de conversar, fazer amigos, ajudar os outros e nos meter na vida alheia, porém as pessoas aqui são ao contrário. Extremamente reservadas, com um círculo de amigos bem restrito, os parisienses não são de muito papo com estranhos não. O silêncio dentro de um metrô é chocante, todo mundo usa fone de ouvido, e em geral leem muito, livro ou jornal. Uma coisa que pra mim foi difícil quando vim , é que eles não sorriem muito, na verdade eles mal se olham uns na cara dos outros, estão sempre “com pressa”  ao ponto de estabelecerem regras para a circulação, andar sempre a direita de uma escada ou passagem, para evitar que uns atrapalhem ou “atropelem” os outros.

Existem muitos bares e festas, porém festinhas em casa onde o amigo trás o amigo que trás outro amigo e todo mundo curte juntos nunca vi. Um convite para um jantar na casa de alguém aqui é restrito, e é extremamente mal visto levar um desconhecido, principalmente sem avisar, nada de música alta, som automotivo, amanhecer o dia… Isso é frustrante quando você chega aqui depois de ver filmes onde os jovens fazem festas alucinantes, kkkk (mas estou dizendo por mim, as vezes existem festas por ai do tipo, só nunca vi nem participei!)

Mas os franceses são muito ligados a cultura e a tecnologia, em geral falam no mínimo 2 idiomas, possuem o ano escolar e a formação  diferentes do Brasil, aquele negócio de trabalhar o dia todo e estudar a noite não existe não, os jovens demoram mais a serem independentes e adultos, porém depois que saem de casa, não voltam mais.

 

 Os transportes podem ser o paraíso ou não.

Quem já andou de ônibus no Brasil sabe como é difícil imaginar que isso aconteça em outros países, todo mundo imagina que é tudo maravilhoso é funciona super bem, então, em parte isso é verdade, mais não é sempre um mar de rosas quando você realmente quer viver em Paris. Aqui em Paris existe trens, metrôs, ônibus e etc, eles usam a tarifa única ou mensal que é bem mais acessível que a do Brasil, e em geral são pontuais e frequentes.

Existem linhas que passam a cada 3 minutos e em geral as estações são bem organizadas, tem folhetos e pequenos guias das linhas e balcão de informações para os turistas. Mas claro que assim como no Brasil, aqui também existem trens, metrôs e ônibus lotados no horário de pico, gente te espremendo e empurrando, mendigos, pedintes, cachorro e etc.. Isso quando ninguém se joga na frente dos trens e somos obrigados a ficarmos 1 hora esperando o local ser liberado, ou quando alguém esquece uma mala ou mochila e a polícia anti-terrorismo fecha todas as linhas da região para verificar se não é uma “bomba”. Isso mesmo!

Mas é claro que as ruas e as estradas tem uma ótima qualidade, aqui tem placa pra tudo! Mas viver em Paris no quesito tráfego é um caos, o problema é que a cidade está saturada, então o trânsito é quase sempre cheio de congestionamentos, falta de estacionamento e pequenos acidentes a qualquer momento do dia.

Além de cada centímetro dos estacionamentos aqui serem pagos! Fique atento dependendo de onde parar, você pode ter o carro guinchado e o pior é que pessoal aqui costuma usar o para-choque do outro veículo para saber “se já deu ré o suficiente” na hora de estacionar.

 

viver em paris

Gastronomia, igual nariz, cada um tem o seu!

Se eu disser errado me corrijam, mas a primeira coisa que você sente falta quando se muda do Brasil, para países Europeus, é da comida. É possível encontrar, restaurantes e mercados brasileiros, mas no geral, aquele arroz com feijão, bife acebolado, feijoada, galinhada, tapioca, e outras milhares de delícias que temos no Brasil, você não tem por aqui, ou é obrigado a pagar uma fortuna comparado aos preços do Brasil.

Um outro probleminha pra quem quer viver em Paris, é que os temperos em geral da comida francesa, é somente sal e da pimenta do reino, as vezes algumas ervas, molhos mas em geral é só isso, nada de alho, cebola, cheiro verde, etc. Mas a coisa mais impactante quando cheguei aqui foi o “ponto” das coisas, como a carne por exemplo, ao ponto aqui é literalmente “crua” por dentro ou bem mal passada, assim como o ovo colocado nos crepes entre outras coisas particulares na culinária daqui, lembro a primeira vez que comi com a família do meu marido (que é francês), e me serviram a carne… eu não falava francês então tive que pedir licença para voltar o meu pedaço ao fogo, porque não consegui comer (imaginem a vergonha). Hoje já estou acostumada, mas meu marido sempre prepara um pouco mais bem passado pra mim.

Tirando isso, aqui existem uma infinidade de tipos de bons vinhos, cervejas, queijos e os chamados “pratos gourmet” que são as vezes muito bons, e outras mais bonitos do que gostosos. Mas, se vocês pensam que nós brasileiros, gostamos de pão, é porque nunca conheceram a França. O povo aqui com pão com tudo, tudo mesmo, e não é qualquer pão, é a famosa “baguete” que pode ser vista frequentemente nas mãos, bolsas, sacolas, mochilas dos franceses, e também nos bares e restaurantes espalhados pela cidade.

 viver em paris - gastronomia

Diversão, cultura e lazer também existem!

Para ninguém achar que eu não gosto de viver em Paris(risos), posso dizer seguramente que os franceses são mestres no quesito “lazer e cultura”, aqui existe entretenimento pra todo tipo de gosto, idade e carteira, existem inúmeros museus, teatros, cinemas, catedrais, pontos turísticos para todo lado, castelos, obras de artes, galerias, esculturas, prédios históricos, etc.

Por ser uma região super populosa, existem muitos parques e locais de recreação ao ar livre, em Paris e região, uma infinidade de opções, diferentes parques pequenos e grandes, zoológico, reservas naturais e artificiais, preservando um pouco de natureza e tranquilidade.

As pessoas aqui amam praticar esporte e em geral frequentam regularmente esses parques, na primavera e no verão é muito comum ver reuniões entre amigos, piqueniques, jogos com as crianças e animais de estimação, e muita gente a  aproveitar o sol durante o verão, literalmente eles se bronzeiam nos parques.

Já ouviu falar de “café-bar”? Eles estão espalhados aqui em Paris em milhares de diferentes opções, para todos os gostos, de diferentes estilos tem sempre um charme parisiense, em geral são pequenos e as mesas e cadeiras são colocadas do lado de fora do local, nas calçadas, porém, tenho que dizer que infelizmente existe um problema me incomoda, além das pessoas fumarem muito, muito mesmo, o atendimento são muitas vezes péssimos, eles colocam um pessoa só, no máximo duas, para servir todo o local, por isso a motivação e atenção é quase sempre uma lástima.

 

viver em paris - bares

Eu gosto de viver em Paris?

Bom gente, viver em Paris não é tão fácil quanto parece, mas também não é ruim. Assim como no Brasil, é difícil conseguir emprego, a língua é um pouco complicada, você se sente um pouco só, mais ganha na experiência de vida e cultura! Normalmente é uma coisa pela outra, mas eu não trocaria a experiência que estou vivendo aqui por nada.

Eu já morei nos Estados Unidos e agora estou aqui, já visitei outros países, e depois disso passei a valorizar mais o Brasil, nossa cultura, nosso povo, nossa língua (sabia que para os estrangeiros, nos falamos cantando?). As diferenças são importantes e surpreendentes. Você conhece paisagens lindas além de outras línguas, comidas, cultura, hábitos etc..

Claro que sinto falta do Brasil, e quero voltar um dia. Viver pertinho do calor humano, da simpatia e carisma que só o povo brasileiro tem! Mas se você tiver a oportunidade de viver em Paris, ou mesmo visitar, eu super aconselho, é uma aprendizagem enriquecedora e única!

viver em paris

Já morou fora? Já conheceu outros países? Me conte! Beijos e até mais!

 Quer organizar sua viagem?Clique aqui! O Agora Vai+ em parceria com o ViajaNet ta cheia de promoções em passagens e hotéis. 

Gostou ? Deixe seu comentário !

comentários

Emagrecer em casa

})(jQuery)